A campanha "ZOEIRA AQUI DA MULTA", visa a orientação dos responsáveis pelas organizações dos eventos motociclísticos em Santa Catarina de como se pode combater a ZOEIRA legalmente, pois os motoqueiros que vão aos eventos motociclísticos e realizam atos que coloquem em risco a integridade física dos participantes do evento e ainda podem causar danos ao patrimônio de terceiros.

Consideramos “ZOEIRA” os atos de fazer:- “Borrachão”
- “Zerinho”;
- “Explosão de motor”;
- “Aceleração”

O “borrachão” e o “zerinho” quando realizados, provocam arremesso de pequenos pedaços de borracha que se soltam do pneu trazeiro. São ainda arremessados pequenos pedaços do piso. Tais objetos são arremessados a uma velocidade considerável, podendo causar lesões irreversíveis a visão e causar vários danos pessoais. Ainda temos que os referidos materiais colidem com outras motos, causando danificações as mesmas.
Ainda, temos que levar em consideração que, se a motocicleta “escapa” ao controle de quem faz o “borrachão” e o “zerinho” as conseqüências serão ainda maiores, podendo ocasionar até um acidente de grandes proporções.

A “explosão do motor” causa faíscas que saem pelo cano de descarga podendo atingir membros inferiores das pessoas e principalmente causar lesões em crianças.

Por sua vez, a “aceleração” trás um desconforto incrível para audição, podendo causar lesões.

Todos estes atos acima citados fazem parte da tradição em eventos, porém, se forem feitos, devem ser feitos em locais especialmente preparados para este fim pelos responsáveis do evento, que tem responsabilidade direta civil e criminal pelas conseqüências de tais atos, mesmo praticado por terceiros, salvo melhor juízo.

A campanha é colocada em debate junto as Agremiações Motociclísticas e junto aos Motociclistas Catarinenses, bem como as autoridades públicas, órgãos governamentais de todas as esferas, não governamentais, demais interessados e pede sugestões sobre o presente projeto, visando tirar as dúvidas existentes sobre o foco dos problemas encontrados na presente campanha.

Assim, diante da exposição acima realizada se coloca em debate a presente proposta suscitando os questionamentos abaixo:
1. Constituem infrações às leis de trânsito a prática dos atos acima citados? E quais os fundamentos legais?
2. Quando o evento motociclístico é realizado em logradouro público (praças, ruas, avenidas e outros) se constituem infrações às leis de trânsito, as práticas dos atos acima citados? Quais os fundamentos legais? Está o transgressor sujeito a quais penalidades de trânsito?
3. Quando o evento motociclístico é realizado em propriedade pública (parques municipais, centro de eventos e outros) se constituem infrações às leis de trânsito, as práticas dos atos acima citados? Quais os fundamentos legais? Está o transgressor sujeito a quais penalidades de trânsito? repetido
4. Quando o evento motociclístico é realizado em logradouro público(praças, ruas, avenidas e outros) se constituem infrações penais as práticas dos atos acima citado? Quais os fundamentos legais? Está o transgressor sujeito a quais penalidades?
5. Quando o evento motociclístico é realizado em propriedade pública(parques municipais, centro de eventos e outros) se constituem infrações as leis penais as práticas dos atos acima citado? Quais os fundamentos legais? Está o transgressor sujeito a quais penalidades?
6. Em caso de ser configurado ilícito penal, pode ser autuado em flagrante, pela prática do ilícito penal?
7. É possível praticar os atos acima citados em locais reservados independente de ser logradouro público ou propriedade pública?
8. Qual a responsabilidade dos organizadores de eventos em face de acidentes causados pelas praticas dos atos acima citados?
9. Quando o evento motociclístico é realizado em local privado ou particular, qual a atitude que o organizador do evento deve tomar contra os que praticam tais atos?


Mais informações:
http://www.motociclismosc.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=63:ca mpanhazoeiraaquidamulga&catid=9rojetos&Itemid=3