Regulagem do combustível brasileiro nos mapas

Para gasolina "pura" tipo A (que não temos disponivel no Brasil), a relação estequiométrica de ar/combustível é de 14,7A/F (14,7 partes de ar para uma de combustível).

No Brasil utilizamos gasolina tipo C, devido a grande quantidade de veículos com carburadores, com adição de álcool para correção de octanagem.

O álcool puro possui uma relação estequiométrica de 8,989A/F

A adição de álcool na gasolina varia de 20 a 25%, dependendo das safras de cana de açucar.

Para uma adição de 20% de álcool na gasolina, a relação estequiométrica de ar/combustivel é de 13,4A/F.

Quando a adição for de 25%, a relação correta é 13,1A/F.

Nos dias de hoje estamos com adição de 23% +/- 1% de álcool à gasolina, e a relação estequiométrica correta para esta mistura de combustível é de 13,22A/F.

Assim, uma regulagem próxima de 13A/F trará um funcionamento econômico para o motor.
A curva de maior potência se dará em torno de 12,7A/F.

Relações inferiores a 12,7A/F não aumentam o desempenho e causam carbonização, podendo comprometer o motor devido a "lavagem" das camisas, compromentendo a lubrificação do motor.

Relações superiores a 13,5A/F causam aquecimento no motor, podendo queimar válvulas e o próprio cabeçote caso a mistura esteja muito pobre... (>14,5).

Devido a tudo isso, quem tiver ou pensa em instalar um Power Commander deve pensar bem antes de mexer na tabela de injeção... Os recursos de ajuste são imensos, mas podem trazer sérias consequencias.

Outra informação importante é que independente da gasolina ser comum, aditivada, supra, super, podium, power, etc... a relação A/F acima não se altera. O que manda nesta relação é a quantidade de carbono e hidrogênio do combustível e não a Octanagem ou aditivos.